Arquivo mensal: outubro 2016

Santa Cruz das Palmeiras

img_05430004

Doces e roupas são produzidos para angarias fundos

img_05500005Por reiteradas vezes temos dito neste espaço que o Círculo de Santa Cruz das Palmeiras é um exemplo a todos filiados de São Paulo e, quiçá, do Brasil. Instalada em pequena, mas acolhedora sede, a entidade tem uma diretoria e um corpo de voluntários de altíssima qualidade. Presidido por Amália Maria Marin, e tendo como secretária Maria Inês Colombo Lobo, o CTCSCP é uma verdadeira usina de realizações, voltada ao atendimento das classes mais necessitadas, principalmente agora na crise que o país atravessa com desemprego em alta.
Na sede do Círculo, são produzidos doces e outros quitutes e confeccionadas roupas, tudo vendido para angariar fundos destinados aos programas sociais.

Congresso Circulista Nacional

logo20011Durante o XXI Congresso Circulista Nacional, realizado no dia 31 de julho, foi eleita a nova diretoria da Confederação Brasileira dos Círculos Operários – CBCO, que ficou assim constituída: Diretoria – presidente – Ari Centenaro, vice-presidente – Paulo Sérgio da Silva, 1º vice-regional – Antônio Rodrigues da S. Fº, 2º vice-regional – Pe. Avelino Kaufmann, 3º vice-regional – Olmazi Henrique da Silva, 4º vice-regional – Nivaldo Antônio dos Santos, 1º tesoureiro – José Maria Silva de Sousa, 2º tesoureiro – Inoilda de Oliveira Pontes, 1ª secretária – Arlete Ignez GattoValandro, 2º secretário – Oséias Caetano de Souza, 1ª formação – Maria de Fátima Pranke, 2º formação – Emmanuel Jéfferson K. C. B. Moreira; Conselheiros Fiscais – Antônio Calixto de Souza, Gilberto Ferreira, Walter de Souza Matos Fº, Deuzani Cândido Noleto, José Faustino Júnior e Paulo Cesar Santos de Oliveira.

A Fetcesp esperava que o novo presidente enviasse seu discurso de posse e se manifestasse sobre seu programa de trabalho, mas infelizmente ficamos frustrados.

 

Círculo Operário Penhense – SP

penhense-informatica0015

Curso de introdução à informática para idosos

Um dos mais tradicionais Círculos de São Paulo, que no passado foi palco das grandes romarias que se realizavam no Dia do Trabalho (1º de maio), está completamente alinhado ao projeto da Fetcesp, dedicando sua atenção preferencial a programas que contemplam a terceira idade. O COP implantou cursos de introdução à informática, utilização plena de tablets e smartphones e redes sociais, o que vai permitir a inclusão dos idosos na era digital.

penhense-danca0014

Dança de salão para Terceira Idade

Diz a presidente do COP, Lidia da Conceição CardonaKloss, que as aulas de informática aos idosos têm tido uma grande procura e que as mesmas alcançam outra finalidade além de proporcionar saber – a aproximação entre associados. Lembra ela: “Um aspecto que favorece o desenvolvimento de novos estudos é a variedade de dispositivos que os alunos trazem para as aulas; isto torna as práticas pedagógicas mais desafiadoras”.

Além da introdução à informática, o COP oferece aos idosos aulas de inglês e espanhol, violão e dança de salão.

 

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA DE PRESTAÇÃO DE CONTAS

cropped-fetcesp-11.jpg

I – A Diretoria da Federação de Trabalhadores Cristãos do Estado de São Paulo, FETCESP,conforme deliberação em reunião e em pleno uso das suas atribuições legais e por seu Presidente, abaixo-assinado, CONVOCA os Círculos filiados para a Assembléia Geral Ordinária de Prestação de Contas, a realizar-se no dia 3 de dezembro  de 2016, em sua sede  social à Rua Jandaia, 218, Bela Vista, São Paulo/SP, às 10h em primeira convocação, ou às 10h30 em segunda convocação, para deliberarem sobre á  seguinte ORDEM DO DIA:

a) Leitura do parecer do Conselho Fiscal;

b) Leitura, discussão e votação do Balanço Patrimonial e Demonstração do Resultado em 2015;

c) Leitura, discussão e votação do Relatório de Atividades da Diretoria referente ao ano de 2015;

d) Assuntos gerais.

São Paulo, 3 de novembro de 2016.
NEWTON ZADRA – Presidente
Obs: Este edital será publicado em 03/11/2016 em jornal de grande circulação.

 

Editorial – E la nave va…

IMG_68740001

Newton Zadra – Presidente

Depois de 4 meses de discussões que envolveram as duas Casas do Congresso e o Supremo Tribunal Federal, e seguindo todo o ritual constitucional, a presidente Dilma Roussseff sofreu impeachment, deixando o cargo ao vice-presidente Michel Temer, que já o vinha ocupando em caráter interino. Se houve muito rigor no julgamento (que os partidários de Dilma chamam de golpe) ou se o processo de impeachment cumpriu com serenidade e isenção todas as disposições constitucionais é tema que levará tempo para se concluir, se é que haverá conclusão, já que, até hoje, o outro presidente cassado Fernando Collor ainda garante que foi injustiçado. O fato, no entanto, é que a situação por que passava o país no segundo mandato de Dilma Rousseff não poderia continuar, sob pena do país entrar no caos administrativo. A economia está em frangalhos, o desemprego em alta e continuando a subir e o que é pior e fatal: com o chorrilho de crimes de corrupção em empresas estatais, todas com suas direções próximas ao governo, a Nação passou a olhar o serviço público (e o futuro)com total descrédito, o que paralisou investimentos em todos setores, daí a crise em ascensão.

Findo o regime militar e a promulgação da constituição, é o segundo presidente que sofre impeachment, uma média surpreendente para um regime presidencialista. Talvez fosse hora de mudar quando a tal da prometida reforma política partidária chegar, o que nos parece improvável.

A nós dos círculos operários interessa tão somente que haja empregos dignos,salários e benefícios justos que permitam que trabalhadores e suas famílias possam gozar de um nível de vida condizente com sua importância na sociedade. Lutas maniqueístas tramadas nas câmaras opacas e difusas do Poder, dividindo a população em bons e maus, só interessam a uma minoria anacrônica que busca soluções ultrapassadas e demagógicas.

É hora de darmos as mãos e fazermos deste país uma potência econômica, social e democrática.

Atualizar é preciso

Há muito e por reiteradas vezes, a Fetcesp tem se manifestado a favor de uma mudança radical nos objetivos do Circulismo, sem contudo sugerir a alteração de sua missão original, qual seja a assistência e promoção do trabalhador e da população em geral. A proposta tem quatro vertentes: a primeira delas trata de atualizar nossas ações, abdicando de muitos serviços que prestávamos, hoje proporcionados pelo governo e instituições específicas. Neste sentido achamos que é hora de dedicarmos nossa atenção e programas preferencialmente ao atendimento da terceira idade, estrato etário que aumenta em números exponenciais. Estatísticas oficiais apontam que o crescimento do número de idosos nos próximos anos é irreversível, e há um mundo de atividades que podemos desenvolver nesta área.20160905083439_000010002

O fenômeno da longevidade não é temporário ou um fato localizado apenas em cidades desenvolvidas. Ele acontece em todos países e em todas regiões, mesmo as mais pobres. O mundo se globalizou, o progresso da medicina e o conhecimento sobre alimentação e saúde se fazem presentes nos mais recônditos rincões. Por outro lado, os índices de natalidade acusam uma queda brutal. Num futuro bem próximo a população idosa suplantará a de adultos.
Pelo que conhecemos do serviço público, sabemos que será impossível que os órgãos governamentais atendam esta demanda não só na área da saúde, mas nas múltiplas necessidades da terceira idade.

E, quando falamos de atendimento à terceira idade, não caímos no reducionismo de infantilizar idosos oferecendo-lhe apenas bailes, passeios e viagens, jogos de salão e programas desta ordem. Nada contra este tipo de serviço, aliás, eles devem ser incentivados, mas o projeto da Fetcesp não se encerra aí. Lutamos para que a sociedade e a família aceitem e incorporem o idoso dentro de sua própria individualidade, sua capacidade intelectual, experiência e condição física. Isso implica em mudança de hábitos, costumes e promulgação de leis, o que vai exigir tenacidade e absoluta confiança na proposta, pois a luta com certeza será árdua e longa. Vide o que aconteceu com negros, homossexuais, direito de mulheres e minorias em geral.

Sedes de círculos são locais propícios a este tipo de discussão e debate. Ao mesmo tempo em que um filiado oferece serviços como cursos de informática, arte eartesanato, incentivo ao trabalho voluntário e maneiras criativas de geração de rendas, por exemplo, pode-se manter um debate constante sobre direitos do idoso, trazendo às nossas sedes geriatras, sociólogos e especialistas que venham enriquecer tais discussões.
Um grande círculo de São Paulo, o de Vila Prudente, já vem trabalhando neste sentido, criando o GETI (Grupo de Estudos da Terceira Idade), que tem apresentado à subprefeitura do bairro e aos governos municipal e estadual propostas que visam melhorar a vida de idosos, entre elas a implantação de parques e redesenho de praças e mudanças significativas no Plano Diretor da cidade.

O segundo item que defendemos é que as novas unidades circulistas sejam implantadas na periferia das cidades, em locais em que nossa presença se faz mais necessária. Nos dias atuais, a esmagadora maioria de filiados está instalada em regiões onde mal ou bem a população já é servida por serviços básicos. De forma geral, o Movimento Circulista se aburguesou.

O terceiro ponto da proposta é a profissionalização das unidades circulistas e das próprias federação e confederação. Não se pode admitir nos dias atuais,com tecnologias e situações sociais  que se alteram em velocidade vertiginosa, que unidades circulistas fiquem nas mãos apenas de voluntários sem conhecimento das variadas ferramentas necessárias para a gestão e  autossustentabilidade.

Por derradeiro, mas não menos importante, é fazer com que cada filiado seja uma caixa de ressonância da comunidade, um fórum de debates dos problemas locais, enfim, ter uma participação política efetiva, isso tudo sem partidarização ou defesa de ideologias que fujam aos nossos princípios. Uma proposta tão clara e evidente até agora não mereceu a mínima atenção, ou comentário da CBCO – Confederação Brasileira dos Círculos Operários, instituição que acaba de vender enorme terreno em Brasília para subsistir.